Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background

No dia 29 de outubro, na sede da Federação das Empresas de Logística e de Transporte de Cargas do Rio Grande do Sul – FETRANSUL em Porto Alegre, será realizada a primeira reunião presencial desde o início da pandemia, com representantes da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT).

O encontro tem como objetivo discutir questões relativas a procedimentos e falta de harmonização no Transporte Rodoviário Internacional de Cargas, buscando um consenso sobre medidas que sejam adequadas para as transportadoras.

Desta maneira, tendo em vista que a ABTI estará presente na reunião, aqueles que tiverem interesse em encaminhar sugestões de pautas para serem discutidas, devem enviar as informações para o e-mail comunicacao@abti.org.br até o dia 26 de outubro.

Também, caso queiram acompanhar o encontro virtualmente, mediante solicitação antecipada disponibilizaremos o link da plataforma Zoom para acesso.

Ressaltamos que a reunião será excepcionalmente em modo presencial tendo em vista a importância dos temas a serem discutidos. Sendo assim, serão respeitados todos os protocolos sanitários recomendados de prevenção à Covid-19 para a segurança e bem-estar de todos os presentes.

Leia Mais

Através do ofício nº 27, a Vigilância Agropecuária Internacional – VIGIAGRO informa que a partir de hoje, 20 de outubro, a Declaração Agropecuária de Trânsito Internacional (DAT-EM), gerada no SIGVIG 2 (atual), não será mais utilizada para fiscalização das embalagens de madeira, nas cargas com desembaraço em Uruguaiana/RS.

Desta forma, se faz necessário modificar o atual procedimento para os processos de importação, que passará a ser da seguinte forma:

1. Para cargas com anuência do MAPA, da área vegetal, e que venham acondicionadas em embalagens/suportes de madeira, somente será apresentada a DAT ou LPCO referente à mercadoria, sendo que a liberação das embalagens dar-se-á mediante o deferimento da LI, ou seja, se a LI estiver deferida significa que as embalagens de madeira estão liberadas.

2.Para as outras cargas, acondicionadas em embalagens/suportes de madeira, e que serão desembaraçadas em Uruguaiana, está suspensa a liberação antecipada e não será necessário emitir um DAT-EM para a sua fiscalização. Sendo assim, as liberações somente ocorrerão com a presença do caminhão no Porto Seco Rodoviário.

3.Todos os caminhões, que possuírem embalagens/suportes de madeira, ficarão bloqueados, até que o MAPA proceda a análise de risco das cargas.

4. Após concluída a análise de risco, o MAPA fará o desbloqueio dos caminhões, sendo que, os que permanecerem bloqueados, terão inspeção física, sendo necessário a emissão do DAT-EM, para que isso venha a ocorrer.

5.A banca do MAPA enviará e-mail para as empresas de despacho, avisando da necessidade de emissão de DAT-EM, para a inspeção.

6.A unidade do VIGIAGRO submeterá ao controle interno de gerenciamento de risco, selecionando 5 a 10 % das cargas para inspeção física.

7.Para os caminhões que forem selecionados para inspeção, o documento que permitirá a saída da carga dos recintos alfandegados é a DAT-EM deferida, que poderá ser impressa diretamente do SIGVIG pelo usuário.

8. No caso de mercadorias ingressando na modalidade de trânsito aduaneiro (DTA), continuará sendo necessário emissão de DAT-EM, a qual deverá ser enviada, como anexo, para o e-mail bancamapa@multilog.com.br, juntamente com o MIC carimbado e assinado pela aduana de origem e em cores. Somente nesse caso será possível a liberação antecipada, ou seja, antes do caminhão chegar a Uruguaiana, desde que cumpridas as determinações acima. Algumas cargas continuarão sendo selecionadas para inspeção física e terão que ingressar no Porto Seco Rodoviário. O documento para liberação junto aos outros órgãos e intervenientes, nesse caso, continua sendo a DAT-EM deferida.

Esse procedimento refere-se exclusivamente à fiscalização do MAPA, não eximindo os usuários de obterem as anuências dos demais órgãos para a nacionalização das mercadorias.

Leia Mais

Em agosto a ABTI, juntamente com a Feaduaneiros – Federação Nacional dos Despachantes Aduaneiros, enviou um ofício ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, expondo a preocupação do setor quanto ao número reduzido de servidores públicos federais do Ministério da Agricultura nas fronteiras de Brasil.

Ainda, o mesmo documento foi encaminhado à Secretária de Estado do RS, Ana Amélia Lemos, representante da Secretaria Extraordinária de Relações Federativas e Internacionais, solicitando apoio na busca de uma solução para o impasse.

Em resposta, Ana Amélia informa que a Secretaria estará acompanhando a demanda e o alerta, incluso reforçando os argumentos referentes aos procedimentos burocráticos, na fiscalização de produtos de origem agropecuária, que acarretam redução da competividade na logística do comércio internacional.

A ABTI agradece o costumeiro apoio e atenção que a Secretária demonstra pela categoria, é de extrema importância que os setores público e privado se unam em prol da recuperação econômica do país.

Conforme já informado, as entidades solicitam uma análise no quadro de servidores considerando a necessidade de contratações emergenciais, para que sejam disponibilizados em caráter de contingência, Agentes e Fiscais Federais, Agrônomos e Veterinários para as fronteiras. Dessa forma, evitando o represamento de processos, a criação de gargalos nos fluxos, aumento de custos logísticos e, como inevitável consequência, a perda de competitividade do Brasil no Comércio Exterior.

Leia Mais

Rua General Bento Martins, 2350
Uruguaiana - RS - Brasil
Cep: 97501-546
abti@abti.org.br

logoBoto

Siga-nos

face twitter in

+55 55 3413.2828
+55 55 3413.1792
+55 55 3413.2258
+55 55 3413.2004